portalpatos
publicidade
terça-feira, 12 de novembro de 2019
ULTIMASNOTICIAS - 22/10/2019

PF cumpre mandado contra servidor suspeito de fraudar Bolsa Família


Uma operação da Polícia Federal foi deflagrada na manhã desta terça-feira (22), em Campina Grande. De acordo com a PF, a operação “Simbiose” teve como objetivo combater supostas ilicitudes que estariam acontecendo na concessão de benefícios assistenciais do Governo Federal, como o programa Bolsa Família. Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa de um prestador de serviço do município.

Segundo as investigações da PF, o funcionário é lotado na Unidade do Cadastro Único da Secretaria de Assistência Social, e desempenha a função de cadastrar/atualizar os dados das famílias que serão contempladas ou já recebem o Bolsa Família, realizando atendimentos diários de pessoas interessadas em obter o benefício social.

 

Assim, valendo-se de sua condição na Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande, o servidor realizava a inserção ilícita de dados falsos no Sistema CadÚNICO, com o intuito de gerar o pagamento ou majorar o valor pago do benefício daqueles contemplados no Programa, mediante cobrança de valores indevidos.

O mandado de busca e apreensão contra o prestador de serviços do município foi expedido pelo Juízo da 4ª Vara Federal em Campina Grande. Ele vai responder pelos crimes de inserção de dados falsos nos sistemas de informação e corrupção passiva, cujas penas, somadas, podem chegar a mais de 15 anos de reclusão.

A Operação “Simbiose” contou com a participação de 10 policiais federais. O nome da operação é uma alusão à cooperação prestada pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande, à Polícia Federal, para instrução da investigação.

Investigações da PF após notícia-crime
Conforme a Polícia Federal, após uma notícia-crime apresentada pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande, a PF iniciou investigações, tendo como foco as atividades desenvolvidas por um dos prestadores de serviço contratados pelo município, para o desempenho de atividades burocráticas na concessão de benefícios assistenciais.

A notícia-crime teve por base o resultado dos trabalhos realizados por Comissão de Trabalho, designada para apurar denúncias de fraude cadastral no Programa Bolsa Família, que chegaram ao conhecimento da Secretaria.

Portalpatos

Fonte: G1/PB

portalpatos

Leia Também

Comentários