30/1/2020

Regina Duarte diz sim a Bolsonaro e aceita chefiar Secretaria da Cultura

53092

O Ministério do Turismo, pasta à qual Cultura é subordinada, divulgou uma nota confirmando a atriz no cargo.

 

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Depois de uma terceira reunião com o presidente Jair Bolsonaro, a atriz Regina Duarte, 72, aceitou o convite para ser secretária especial da Cultura.

"Sim, só que agora vão ocorrer os proclamas antes do casamento", disse ela ao deixar o Palácio do Planalto no início da noite nesta quarta-feira (29).

Na sequência, o Ministério do Turismo, pasta à qual Cultura é subordinada, divulgou uma nota confirmando a atriz no cargo.

"Regina Duarte é a nova secretária Especial da Cultura. O convite feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, foi aceito nesta quarta-feira (29). Desta forma, a atriz passa a responder pela secretaria responsável pelo desenvolvimento das políticas culturais do país."

Em comunicado, o Palácio do Planalto usou uma analogia a casamento para tratar do tema, mas disse apenas que havia um avanço em nova fase de noivado entre a artista e o presidente.

"O presidente Jair Bolsonaro esteve na tarde desta quarta-feira, 29, com a atriz Regina Duarte, no Palácio do Planalto. Ambos consideram, neste momento, o avanço de uma nova fase do noivado, com trâmites preparatórios oficiais para o casamento", diz nota oficial da Presidência da República.

Ao chegar ao Palácio da Alvorada na noite desta quarta, Bolsonaro também fez suspense. "Estamos na fase dos proclamas", disse, brincando com jornalistas se eles conheciam a terminologia, usada para a fase de entrada de documentos em um cartório para o casamento no civil.

"Está tudo certo, está caminhando, ela está acertando as questões pessoais dela", afirmou, completando que ainda não há prazo para que Regina assuma o cargo.

Após dez dias de noivado, a atriz chegou a Brasília no início da tarde desta quarta para a terceira e definitiva conversa com Bolsonaro sobre sua ida para o governo.

Ela assume a pasta após a demissão de Roberto Alvim, que foi demitido por Bolsonaro após publicar um vídeo em que parafraseia um ministro da Alemanha nazista.

A artista foi convidada em 17 de janeiro, mas levou dez dias para aceitar a proposta. Desde o primeiro encontro com o presidente, no dia 20, ela dizia que estava em um noivado e em fase de testes.

Além de Bolsonaro, Regina se reuniu nesta quarta com os ministros Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo).

"Trata-se de um reforço do mais alto nível para compor o time do governo federal. Turismo e Cultura são atividades com uma forte sinergia que mostram ao mundo o que o Brasil tem de melhor, além de terem um alto potencial de geração de emprego e renda em nosso país e é sob essa perspectiva que trabalharemos fortemente e tendo essa importante parceira em nossa equipe", diz nota assinada pelo ministro do Turismo.

"Tenho certeza de que ela será bem-sucedida nesse novo desafio e que teremos excelentes resultados."

Álvaro Antônio é alvo de denúncia à Justiça pelo esquema de laranjas do PSL na eleição de 2018, caso revelado pela Folha de S.Paulo.

Ao chegar ao Planalto, Regina brincou com os jornalistas que precisaria muito da imprensa, qualquer que fosse o desfecho da conversa. "Vou precisar de vocês, hein? O país é todos nós. Eu só acho que eu vou precisar de vocês para o sim, para o não, para o talvez. Ih, rimou, né?", brincou.

A atriz disse ainda estar entusiasmada com Brasília, cidade que disse amar. "Se tivesse um filho pequeno ia querer criar aqui, cidade maravilhosa", respondeu ao ser questionada sobre o que acha da capital federal.

Na terça (28), Bolsonaro disse que a futura secretária terá liberdade para fazer as mudanças que ela quiser na Secretaria da Cultura.

"Para mim seria excepcional, para ela, ela tem a oportunidade de mostrar realmente como é fazer cultura no Brasil. Ela tem experiência em tudo que vai fazer. Precisa de gente com gestão ao seu lado, tem cargo para isso, vai poder trocar quem ela quiser lá sem problema nenhum. Então tem tudo para dar certo a Regina Duarte", afirmou.

Durante os dez dias de noivado, Regina fez demonstrações públicas de que está alinhada com o pensamento de Bolsonaro.

No domingo (26), ela publicou um vídeo se posicionando contra o que conservadores chamam de "marxismo cultural".

As imagens mostram o ex-BBB Adrilles Jorge criticando o que ele considera ser um movimento da esquerda para ganhar território na indústria cultural.

"O que o marxismo cultural faz? Coloca negros contra brancos, mulheres contra homens, homossexuais contra heterossexuais", diz Jorge.

"Quem é esse cara ?!", perguntou Regina em comentário publicado com o vídeo. "Que depoimento bacana, profundo, super real [sic]", escreveu a atriz. O vídeo foi visto por 188 mil perfis no Instagram.

O trecho do vídeo postado por Regina está editado e não mostra que, no mesmo programa da rádio Jovem Pan, o Jovem Pan Morning Show, o apresentador Guga Noblat contesta o ex-BBB e diz que o termo "marxismo cultural" foi criado "por teoria conspiratória que ninguém leva a sério".

Jorge, em sua argumentação, responde que "só existe isso no mundo hoje, pessoas que se colocam no lugar de vítimas para massacrar as outras".

Portalpatos

Fonte: Folhapress

Comentários


subir

Estúdio e Redação

Cels - 9.9831.0065 | 9.8863.5204 | 9.8105.1022
mariolocutor@gmail.com; mauriciopatos2005@gmail.com