13/1/2022
Manoel Junior fala em intervenção no Solidariedade/PB sem direito à defesa; Nacional e novo presidente negam e esclarecem
60231

Depois do ex-deputado federal e atual prefeito de Pedras de Fogo, Manoel Junior, divulgar nota, nesta quarta-feira (12.Jan.2022), criticando o processo de intervenção da Executiva Nacional do Solidariedade (SD), que o tirou da presidência do partido na Paraíba, o Secretário nacional, Luiz Adriano, e o novo presidente estadual Aledson Moura, negaram falta de ebtendimentos e esclareceram situação em Nota.

Eis, a seguir, a posição de Manoel Junior:

“No início de 2019, depois de reiterados convites do Presidente nacional do partido Solidariedade, Paulinho da Força, assumimos o comando do partido Solidariedade-PB, sem Prefeitos, Vice-Prefeitos ou Deputados filiados, e com um baixo número de vereadores em seus quadros.

Sob nosso comando, o Solidariedade-PB saiu da condição de Comissão Provisória, tornando-se Diretório Estadual, e deu início a um processo de crescimento e fortalecimento, chegando ao número de 2.931 filiados, 3 Prefeitos, 5 Vice-prefeitos, 25 Vereadores, frutos de uma expansão que chegou a 69 municípios. Tivemos diversas candidaturas em todas as regiões do Estado da Paraíba, do litoral ao Sertão. Viajamos o Estado inteiro, filiando, conversando e levando a mensagem do Solidariedade, difundindo seus ideais, mostrando ao povo paraibano seus projetos e visão de futuro. Uma peregrinação que trouxe novos filiados, possibilitando ao Solidariedade concorrer em grandes cidades de nosso Estado no pleito eleitoral de 2020, dando ao Partido uma dimensão jamais vista na Paraíba.

Ultimamente, estávamos mantendo conversações importantes com lideranças do Estado, visando o pleito eleitoral de 2022, onde apresentaríamos candidaturas competitivas para a Assembleia Legislativa e a Câmara Federal, e quiçá para compor a chapa majoritária concorrente ao Governo do Estado.

De forma abrupta e antidemocrática, fomos surpreendidos com uma intervenção em nosso Diretório, sem nenhum diálogo ou comunicação prévia, em total afronta às diretrizes partidárias, à democracia, e ao trabalho que estávamos desenvolvendo.

Estamos deixando para a gestão que entra um partido totalmente organizado do ponto de vista burocrático, com as finanças em dia, sem máculas jurídicas ou administrativas. Enfim, um Solidariedade-PB maior do que aquele que encontramos, com o desejo de que nossos sucessores possam dar continuidade ao processo de crescimento e desenvolvimento do Partido, porém com o alerta para que não sejam, num futuro próximo, vítimas do mesmo expediente adotado contra a nossa gestão, eis que para os que se utilizam de tal expediente, pouco importa o trabalho, a seriedade, a honestidade ou as boas práticas de gestão.”

A POSIÇÃO DO NACIONAL E ESTADUAL

O portal WSCOM revela a Nota Oficial:

“O Solidariedade Nacional vem a público esclarecer que a troca de comando na presidência do partido no estado da Paraíba seguiu todos os trâmites democráticos.

“Não é verdade que houve intervenção ou qualquer tomada de decisão abrupta e antidemocrática no Diretório Estadual por parte da Executiva Nacional, pois o processo de transição levou quatro meses e foi marcado por conversas que indicavam que não havia a condição de construção de chapas federal e estadual competitivas”.

“Várias conversas foram feitas com o então presidente Manoel Júnior, porém, ele afirmava a impossibilidade de construir uma chapa competitiva para a disputa de cargos federais em 2022. A intenção dele er trabalhar a chapa de deputados estaduais com perspectivas de federais apenas para 2026”.

“O Solidariedade, preocupado com a continuidade da sua representação federal, busca, não somente na Paraíba mas em todos os estados, a construção de chapas que ofereçam a possibilidade de crescimento do partido”.

“Um grupo novo formado por lideranças políticas com referência de voto se apresentou ao partido com a possibilidade de construir candidaturas a federal e estadual fortes e competitivas. A partir daí, com a expectativa de fazer a soma, procuramos Manoel Júnior e, informados da sua enfermidade, adiamos a conversa o máximo possível. Porém, agora precisamos nos definir, assim como outros partidos”.

“Em uma conversa com o secretário nacional do Solidariedade, Luiz Adriano, e com o secretário geral estadual, Ailton Ferreira Filho, foi esclarecida a intenção do partido em fazer a mudança. Coube a ele informar ou não ao Manoel Júnior que, segundo o secretário estadual Ailton Ferreira Filho, estava incomunicável por sua enfermidade”.

“Reconhecemos o trabalho de Manoel Júnior, prefeito de Pedras de Fogo, à frente do Solidariedade. O seu empenho foi importante para o fortalecimento do partido no estado paraibano. Seguiremos em frente com as nossas metas para 2022. Enquanto isso, as portas continuarão abertas para todos que queiram construir um Brasil melhor conosco, inclusive para Manoel Júnior”.

Luiz Adriano Secretário- Geral Nacional do Solidariedade Aledson Moura Presidente do Solidariedade-PB

Portalpatos

Fonte: Wscom

Comentários


Equipe Portalpatos
mario
  • Mário Frade
  • Jornalista

mauricio
  • Mauricio
  • Front e Back End
  • Designer Gráfico
  • Técnico de Contabilidade
  • Técnico de Informática
  • Desenvolvedor Multi-Plataforma Android / IOS
  • Master Power BI T-SQL
  • MySQL | SQLServe | NoSQL | PostgreSQL
  • Designer Gráfico
  • Editor Gráfico